TRACE TALKS com Luisa Canziani

Presidente da Frente Parlamentar Mista da Economia e Cidadania Digital, a deputada federal, Luisa Canziani (PTB) foi uma das articuladoras junto ao Ministério das Comunicações para a instalação da antena 5G em Londrina. 

Eleita a deputada federal mais jovem do Brasil em 2018, Canziani conversou com a Trace Pack sobre o papel da conectividade no campo para a agricultura de decisão, quais os próximos passos em relação ao 5G e de que modo startups como a Trace Pack podem ser a chave para a implementação de uma agenda ESG.

O agronegócio é uma das cadeias produtivas mais importantes do país, destaca Canziani

TRACE TALKS: Deputada, o trabalho que você vem desenvolvendo tem sido de grande importância para a cidade de Londrina e região. Nesse sentido, como você vê o papel do agro para a economia nacional e regional? 

Luiza Canziani: O agronegócio é uma das cadeias produtivas mais importantes do país. Tem segurado a economia nacional durante a pandemia com a produção de alimentos e as exportações. E, dessa forma, o agronegócio tem papel fundamental na economia paranaense. 

O Paraná, como costumamos dizer, é o celeiro do Brasil e somos o estado que mais produz por metro quadrado. Além disso, a nossa localização favorece a logística de escoamento da produção, seja por meio do Porto de Paranaguá ou de Santos (SP), e dos grandes mercados consumidores, como os estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Então, acredito que o desenvolvimento e o fortalecimento do nosso agronegócio são de fundamental importância para todos os brasileiros e para a economia nacional.

5G e a conectividade no agro

TRACE TALKS: O 5G é uma tecnologia essencial para o desenvolvimento de novas tecnologias e o agronegócio tem esperado de forma bastante ansiosa e otimista pela chegada aqui no Brasil. Pensando nisso, como você enxerga o papel do 5G para o agro? 

Luiza Canziani: O 5G vai provocar uma verdadeira revolução nos atuais modos de produção, seja no agronegócio, na indústria e também na prestação de serviços, como a telemedicina e a educação. Durante os testes com a tecnologia, realizados em parceria pelos ministérios das comunicações e da agricultura, na Embrapa Soja, tivemos uma pequena demonstração de como a tecnologia será usada para potencializar ainda mais o agronegócio. Além disso, vai contribuir sobremaneira para aumentar a produtividade, sem necessariamente aumentar a área plantada, o que tornará o nosso agronegócio ainda mais sustentável.

TRACE TALKS: Atrelado à questão do 5G, a conectividade no campo é um dos grandes desafios do agronegócio. Nesse sentido, de que forma levar essa conectividade para os pequenos e médios produtores, sobretudo em Londrina e região? 

Luiza Canziani: A implantação da tecnologia 5G em todo o país é um grande desafio para todos. Integrei o grupo de trabalho, formado na Câmara dos Deputados, que acompanhou as discussões para realização do edital do leilão para implantação e conseguimos importantes conquistas, como a garantia de acesso à internet em todo o país e o 5G em todas as escolas públicas.

É claro que temos uns prazos a serem cumpridos, mas é uma conquista importante ainda mais se considerarmos que alguns locais do País sequer contam com sinal de internet. Mas o Paraná tem uma situação privilegiada, tanto em termos de desenvolvimento econômico quanto de localização, temos o estado praticamente coberto com o sinal 4G, então acredito que não demora até o 5G chegar às propriedades rurais da nossa região.

O setor de agtechs

TRACE TALKS: As agritechs, startups do agronegócio, são exemplos de empresas que aliam tecnologia e soluções para o campo. Quais iniciativas você acha necessárias para estimular o setor de agritechs? 

Luiza Canziani: Da parte do legislativo, temos trabalhado muito para a construção de leis que ajudem o desenvolvimento do setor produtivo, claro, sempre protegendo a privacidade das pessoas. Na Câmara dos Deputados aprovamos o marco legal das startups, o marco legal da inteligência artificial.

Assumi recentemente a presidência da Frente Parlamentar da Economia e Cidadania Digital e o nosso objetivo é garantir segurança jurídica, ter regras claras e transparência para quem inova e produz, mas protegendo a privacidade das pessoas.

Também estamos trabalhando para incentivar a capacitação dos trabalhadores, que inclusive é uma demanda das empresas de tecnologia da informação e comunicação. E temos também o projeto, em discussão na Câmara, de letramento digital que procura incentivar crianças e jovens para a inclusão digital e os adultos para capacitação do mercado de trabalho.

TRACE TALKS: Como as startups podem contribuir para o desenvolvimento do agronegócio? Quais iniciativas você vê como importantes para esse desenvolvimento na cidade de Londrina? 

Luiza Canziani: Londrina tem um ecossistema de inovação consolidado e bastante atuante que sempre está em busca de oportunidades e parcerias. É um cenário importante porque chama atenção das grandes empresas e também de órgãos governamentais que têm a missão de incentivar o setor. Recentemente nossa articulação garantiu um acordo de cooperação entre a Microsoft e a Prefeitura de Londrina.

Outra importante conquista foi o primeiro polo tecnológico do agro do Ministério da Agricultura, instalado aqui em Londrina há dois anos. São iniciativas importantes porque demonstram a grandeza do nosso município nessa área e conseguem atrair mais investimentos e parcerias, além de consolidar Londrina como um polo gerador de tecnologia, pesquisa e de startups.

TRACE TALKS: Além do desafio da conectividade, a sustentabilidade é outro desafio para o agronegócio. Ciente dessa questão, como agritechs como a Trace Pack, além de outros setores podem trabalhar de forma conjunta nesse aspecto? 

Luiza Canziani: O agronegócio brasileiro é muito competitivo e sustentável, segue as normas ambientais, principalmente aqui no Paraná as áreas de lavoura e pecuária são consolidadas. A questão ambiental e a sustentabilidade são motivo de preocupação de todos, o mundo está de olho no nosso modo de produção.

E, por isso, as pesquisas – desde o desenvolvimento de sementes, análise de solos, monitoramento climático, desenvolvimento de plantas, entre outros – devem sem direcionadas todas neste sentido. A sustentabilidade é uma exigência mundial e acho que nosso agronegócio já está nesse caminho.

TRACE TALKS: Quais são as próximas ações que você, como deputada, pretende desenvolver para a cidade de Londrina em relação ao 5G e para incentivar o ecossistema de inovação? 

Luiza Canziani: Temos realizado frequentemente missões, virtuais e presenciais, com os integrantes do nosso ecossistema de inovação com associações representativas do setor produtivo de TI, com as bigtechs, estamos constantemente em busca de oportunidades e parcerias para fortalecer ainda mais o nosso ecossistema.

Dessas missões já resultaram parcerias com a Agência Espacial Brasileira, Softex, ministérios da Ciência e Tecnologia, da Agricultura, das Comunicações, Senai, ABDI, entre outros.

TRACE TALKS: Você foi eleita como a deputada mais jovem do Brasil em 2018. Quais os desafios em ser eleita como uma deputada mulher e jovem? Quais são os planos políticos para 2022? A reeleição é algo que está no horizonte? 

Luiza Canziani: Sempre tive muito apoio do meu pai, Alex Canziani, e de outros colegas deputados. Fui muito bem acolhida na Câmara dos Deputados. Para 2022, deveremos colocar nosso nome novamente para concorrer a uma vaga na Câmara Federal.

Redação e Conteúdo: César H.S Rezende

Arte: Luana Jardim

About Cesar Rezende

Sou um TracePacker - Jornalista, mestre em Administração com ênfase em Política e Gestão Socioambiental pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) e cursando MBA em Gestão Tributária pela USP/Esalq.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

EnglishPortugueseSpanish